Browsing Category

Saúde

Dicas Saúde

TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR

trantorno alimentarO que é transtorno de compulsão alimentar?

Pessoas com transtorno de compulsão alimentar muitas vezes comem uma grande quantidade de alimentos e se sentem fora de controle quando estão comendo. Ao contrário da bulimia ou anorexia, comedores compulsivos não vomitam a comida. Devido a isso, comedores compulsivos estão muitas vezes acima do peso ou obesos.

Pessoas com transtorno de compulsão alimentar também podem:

  1. Comer mais rapidamente do que o normal, durante os episódios de compulsão;
  2. Comer até não aguentar mais;
  3. Comer quando não estão com fome, e sentem-se tristes, deprimidas ou culpadas depois de comer demais.

O que causa o transtorno de compulsão alimentar?
Os pesquisadores não tem certeza sobre as causas e natureza da compulsão alimentar e outros distúrbios alimentares. Os transtornos alimentares provavelmente envolvem atividades anormais em várias áreas diferentes do cérebro.

Os investigadores estão olhando para os seguintes fatores que podem afetar a compulsão alimentar:

  • Depressão. Como metade de todas as pessoas com transtorno de compulsão alimentar está deprimida ou foi muito pressionada no passado.
  • Fazer dieta. Algumas pessoas após pular refeições, não comem comida suficiente a cada dia, ou evitam certos tipos de alimentos.
  • Habilidades de enfrentamento. Os estudos sugerem que as pessoas com compulsão alimentar podem ter problemas para lidar com algumas de suas emoções. Muitas pessoas que são comedoras compulsivas dizem estar com raiva, tristes, aborrecidas, preocupadas, ou estressadas.
  • Biologia. Os pesquisadores estão investigando como os produtos químicos do cérebro e do metabolismo (o modo como o corpo utiliza calorias) são afetados. A pesquisa também sugere que os genes podem estar envolvidos na compulsão alimentar, uma vez que a doença ocorre com frequência em vários membros da mesma família. Neuroimaging, ou imagens do cérebro, também pode levar a uma melhor compreensão do transtorno de compulsão alimentar.
  • Certos comportamentos e problemas emocionais são mais comuns em pessoas com transtorno de compulsão alimentar. Estes incluem abuso do álcool, agindo rapidamente, sem pensar (comportamento impulsivo), não se sentir no comando de si mesmos, e não se sentir uma parte de suas comunidades.

Quais são as consequências para a saúde do transtorno de compulsão alimentar?
Pessoas com transtorno de compulsão alimentar são geralmente muito chateadas com a sua compulsão alimentar e podem se tornar deprimidas. A pesquisa mostrou que as pessoas com transtorno da compulsão alimentar periódica tem mais problemas de saúde, stress, problemas para dormir e pensamentos suicidas do que as pessoas sem um transtorno alimentar. Pessoas com transtorno de compulsão alimentar muitas vezes se sentem mal sobre si mesmas e podem faltar ao trabalho, escola ou atividades sociais para poder comer. Podem também ganhar peso.

O ganho de peso pode levar à obesidade e obesidade aumenta o risco para estes problemas de saúde:

  • Diabetes de tipo 2;
  • Pressão alta;
  • Colesterol alto;
  • Doença da vesícula biliar;
  • Doença cardíaca;
  • Certos tipos de câncer.
  • Todos esses problemas podem afetar diversas partes do corpo, inclusive sua pele, e nem mesmo up skin creme facial pode reverter certos danos.

As pessoas obesas com transtorno de compulsão alimentar muitas vezes têm outras condições de saúde mental, incluindo:

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Os transtornos de personalidade.

Alguém com transtorno de compulsão alimentar pode ficar melhor?
Sim! Pessoas com transtorno de compulsão alimentar devem procurar ajuda de um profissional de saúde, como um psiquiatra, psicólogo ou assistente social. Tal como acontece com bulimia, existem diferentes maneiras de tratar transtorno de compulsão alimentar que podem ser úteis para algumas pessoas.

Dicas Saúde

COMO PERDER PESO SEM (MUITO) ESFORÇO

obesidade-antes-e-depoisVamos falar a verdade, já se caracteriza como epidemia, pois está espalhada pelo mundo todo. Acima de 50% da população brasileira encontra-se acima do peso ou obesa. Obesidade é a nova – indesejada – moda. Fico meio apreensivo porque ultimamente começaram a tentar seduzir a sociedade para aceitar as chamadas modelos plus size como se fosse um novo padrão de beleza. Certamente as pessoas devem aprender a se aceitarem da forma que são, mas essa moda pode estimular a preguiça daqueles que estão com sobrepeso, impedindo-os de buscarem cuidar da saúde.

Já é conhecido por todos, porém vale relembrar alguns problemas que podem surgir por causa da obesidade: infecção de pele, pressão alta, diabetes, problemas do coração, infertilidade, dor lombar, colesterol elevado, problemas para dormir, câncer, ronco, úlceras, pedras na vesícula, problemas nos joelhos, redução da autoestima, redução da qualidade da vida sexual, redução da expectativa de vida, etc…

Idealmente, a guerra contra a balança deveria iniciar antes mesmo da chegada da obesidade, quando ainda estamos sofrendo somente com o sobrepeso. Todavia nunca é tarde demais para tentarmos pelo menos perder alguns quilinhos e buscar melhorar.

Elencamos abaixo algumas dicas para perder peso (quase) sem esforço.

  • ELIMINE GLÚTEN – Mesmo não havendo unanimidade entre os profissionais de saúde quanto a cortar o glúten da dieta, estudos mostram que ele possui uma natureza grudenta que se adere ao aparelho digestivo gerando gordura visceral. Conheço muitas pessoas que simplesmente cortaram ou reduziram bastante o glúten da dieta e perderam peso. É missão ingrata, pois aproximadamente metade do que ingerimos no dia-a-dia contem glúten: biscoito, lasanha, pizza, pão, bolo, macarrão, etc.
  • EVITE O AÇÚCAR REFINADO E SEUS DERIVADOS – todos já conhecem os males que o consumo do açúcar refinado produz no corpo ao longo do tempo. Aprenda a viver sem ele. Substitua-o pelo açúcar integral, mel ou algum outro produto mais natural.
  • CORTE O SAL REFINADO E DERIVADOS – os profissionais de saúde mais respeitados, como o Dr. Lair Ribeiro, recomenda que se use o sal de melhor qualidade, chamado sal rosa do himalaia ou flor do sal; ambos conservam nutrientes e minerais saudáveis para o corpo, ao contrário do refinado.
  • ELIMINE TAMBÉM AS GORDURAS VEGETAIS DE MÁ QUALIDADE – óleos vegetais que comumente usamos para cozinhar e fritar no logo prazo também fazem mal à saúde, exceto o óleo de coco extra virgem (este ajuda a perder peso e combater várias doenças) e o azeita de oliva extra virgem prensado a frio (este é recomendado somente para cozinhar ou pode ser consumido natural).
  • FAÇA EXERCÍCIOS – muito óbvio, né? Você não necessita frequentar academia se não quiser. Meia hora de caminhada rápida umas 3 vezes por semana já auxiliam bastante. Isso até pode ser feito no caminho da escola, trabalho, subindo escada, indo ao shopping, etc. Use sua criatividade para criar essas oportunidades de exercitar seu corpo.
  • USE PRODUTOS NATURAIS AUXILIARES – existem no mercado muitos produtos naturais, tais como green coffee slim funciona que ajudam a perder peso. Eles são uma boa opção para auxiliar caso você tenha condições de pagar. Contudo, não fique somente com produtos. Lembre-se de que eles são apenas auxiliares.

Como eu falei, essas dicas para perder peso são (quase) sem esforço, mas nem todos vão executar, pois implicam em mexer no prazer alimentar das pessoas e isso é complicado, mas é melhor fazer algum sacrifício logo no início do problema do que ter que sofrer as consequências da obesidade no futuro, talvez para o resto da vida.

Recomendo que você pesquise os trabalhos e vídeos do Dr. Lair Ribeiro, que eu considero um dos melhores nutrólogos e médicos do mundo, visando se aprofundar nas dicas aqui apresentadas. O cuidado com a saúde deve ser contínuo e não podemos somente depender dos profissionais de saúde; temos que fazer a nossa parte, nos educando e tomando as medidas ao nosso alcance.

Dicas Saúde

PROBLEMAS DE SAÚDE MAIS COMUNS E DICAS PARA EVITAR E TRATAR

saude-3Todos sabemos quem a expectativa no Brasil (e no mundo) tem aumentado ao longo dos anos. Se hoje, ao nascer, ela é de 75,2 anos, houve uma época no Brasil colonial em que ela não passava de 45 anos, menor ainda entre os escravos.

Estamos vivendo mais e todos acham isso algo muito bom, porém, vem a pergunta: será que estamos vivendo melhor? Podemos observar que, quem chega à velhice, atualmente, tem muitos problemas de saúde; é muito comum vemos idosos que sobrevivem tomando medicamentos controlados.

Com alguma observação e análise, podemos perceber que, no passado, as pessoas que chegavam à idade avançada, tinham mais saúde do que atualmente, até mesmo porque não existiam tantos medicamentos para manterem vivas as pessoas de saúde precária.

É o desejo da grande maioria chegar à velhice com saúde, porém, infelizmente, atingir este objetivo não é tarefa tão simples. Muita gente só começa a pensar na velhice quando ela já chegou e já causaram muitos abusos com o próprio corpo, gerando problemas de saúde muitas vezes irreversíveis.

Sem abordar diretamente as enfermidades que mais matam no país, no meio em que convivo, as pessoas concordam que, aqueles que chegam à velhice, muito provavelmente, vão sofrer alguns dos problemas de saúde elencados abaixo:

COLUNA – Ai, ai. Quem nunca sofreu, em algum grau, com dores na coluna? As doenças de coluna mais comuns são hérnia de disco, escoliose, lombalgia (dor na lombar), artrose, espondilolistese lombar e espondilite anquilosante. Aqui também, o melhor remédio ainda é a prevenção. Para aqueles que trabalham, estudam ou passam muito tempo sentados em geral, a má postura é um dos principais causadores de lombalgia. Pesquise mais sobre postura para aliviar dores de coluna. Pesquise também sobre o Método Mackenzie. Além disso, pilates e hatha yoga são as duas atividades físicas mais recomendadas pelos médicos para manter uma coluna saudável flexível e, atém mesmo, para recuperar-se de eventuais problemas, mas, cuidado para não praticá-los se estiver sofrendo algum problema com inflamação. Na fase aguda há que se usar outros métodos/anti-inflamatórios antes.

CABELO  – Calvície  e queda de cabelo são problemas típico de homens, na maioria das vezes, mesmo que atinjam mulheres, em menor escala. Segundos os especialistas da área, por dia, uma pessoa chega a perder de 100 a 150 fios de cabelo. Parece muito, mas esse número está dentro do natural aceitável para o corpo repor com novos fios. O problema aparece quando o número de fios que caem ultrapassa essa quantidade e não nascem novos fios para repô-los. Em geral, os médicos não têm parecer unânime quanto às razões da queda de cabelo, mas, a maioria, aponta como causas falta de vitaminas do complexo B, estresse, produtos químicos, antidepressivos, doença autoimune (alopecia arreata), tabagismo, envelhecimento, hereditariedade, anemia, alteração hormonal e dietas rígidas. O site http://cultivandosaude.com divulga produtos para tratamento para calvície e queda de cabelo usando alimentação e produtos naturais.

OLHOS – As afecções dos olhos que mais comuns que acometem pessoas são miopia, presbiopia, conjuntivite, seratocone, olhos secos, hipermetropia, astigmatismo, pterígio, terçol e calázio, catarata, glaucoma, retinoplastia diabética e degeneração macular relacionada com a idade. Afortunadamente, a medicina oftalmológica encontra-se bem avançada e praticamente todos esses problemas podem ser solucionados se tratados a tempo, usando medicamentes ou fazendo ou cirurgias. O grande médico Dr Lair Ribeiro recomenda o consumo diário de ovos caipiras que contém luteína, (evitar ovos de granja porque tem pouca luteína e muitos antibióticos) substância que ajuda a evitar degeneração ocular olhos, mesmo em pessoas de idade avançada.

DISFUNÇÃO SEXUAL – Os principais problemas relacionados ao aspecto sexual masculino são ejaculação precoce e impotência sexual, já a frigidez é a falta de desejo sexual por parte da mulher. Para alguns, de certa forma, ainda é tabu falar sobre estas questões sexuais, mas, todos sabemos, uma vida sexual ativa e saudável costuma acrescentar muito à felicidade e bem-estar das pessoas. Para a felicidade de todos, atualmente, está bem fácil solucionar estas questões sexuais com produtos naturais, como o xtramaster, sem ter que usar remédios que costumam trazem efeitos colaterais.

 

DENTES – Os dentes são instrumentos de uso diário e também responsáveis pelo sorriso; um sorriso feio, com dentes tortos ou doentes prejudica em muito nossa vida. Doenças mais comuns relacionadas a eles são mau hálito, gengivite, sensibilidade, cárie, placa bacteriana e problemas ortodônticos. Lamentavelmente, por mais que tenhamos cuidados com nossos dentes, é muito difícil viver sem ir ao dentista periodicamente. Fazer prevenção seria a melhor forma de se evitar muitos dos problemas, se tivéssemos começado a visitar o dentista desde cedo. Aprender as técnicas corretas de escovação e uso do fio dental (por incrível que pareça, muitos adultos ainda não sabem) é um grande diferencial para a saúde bucal. Veja algum vídeo no youtube para certificar-se de que você está fazendo corretamente.

OBESIDADE – Sinceramente, parece que estamos vivendo um filme de terror. Aproximadamente metade da população brasileira (e de boa parte dos países desenvolvidos) está com sobrepeso. A obesidade é um problema seríssimo que está se tornando banalidade e ainda há um grupo a estimulando com as tais modelos e desfiles plus size. Com ela, surgem inúmeros problemas de saúde, que costumam piorar com a chegada da velhice. Neste caso também, o melhor remédio seria a prevenção. Uma vez que a obesidade já tomou o corpo, emagrecer se torna uma tarefa enfadonha, difícil, cara e que consome tempo e mais difícil ainda é manter-se magro. Eliminar (ou até mesmo reduzir) alimentos que contenham açúcar e sal refinados, glúten e seu derivados e alimentos com grande número de produtos químicos, além de praticar atividade física regularmente, são medidas que beneficiam a todos.

 

Um dos grandes médicos que eu admiro e cujos ensinamentos eu sigo e recomendo, é o Dr. Lair Ribeiro. Abaixo há um vídeo dele com informações sobre suplementação e saúde em geral.

 

É meu desejo que este post tenha lhe servido para aguçar a sua curiosidade e lhe estimular a estudar e pesquisar mais sobre cuidados com a própria saúde. Sabemos que a indústria da doença, em geral, não está interessada em curar as pessoas, para não perder o faturamento bilionário. Então, resta a nós, fazermos o nosso dever de casa e assumirmos a nossa responsabilidade de estudar e cuidar da nossa própria saúde.

Viva nós!